• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario

  • Auditoria
  • Liberdade Sindical
  • BRASILIT BANNER
  • Aviso desfazimento 02 2019
  • Banner eliminacao
  • banner protocolo
  • Banner audin
  • abaixo assinado trabalho escravo

Prêmio MPT na Escola reúne vencedores em Campinas

Cerimônia premiou os melhores trabalhos em diversas categorias culturais; vencedores levaram medalhas, bicicletas e tablets

Campinas – Uma cerimônia cheia de música, sorrisos e alegria marcou a entrega do Prêmio MPT na Escola 2018 (Etapa Regional) na tarde dessa quarta-feira, 26 de março, no auditório do Ministério Público do Trabalho em Campinas. O evento reuniu cerca de 100 espectadores, entre estudantes, pais, professores e coordenadores do projeto nas escolas públicas de nove municípios da região - Aparecida, Atibaia, Charqueada, Itatiba, Jaguariúna, Leme, Limeira, Pirassununga e Santa Gertrudes.

Conto, curta-metragem, desenho, esquete teatral, música e poesia foram as categorias premiadas, reunindo um total de 12 trabalhos de alunos da rede pública do Ensino Fundamental, todos abordando o tema trabalho infantil. Na edição de 2018, 28 municípios participaram do projeto.

A solenidade teve início com a apresentação dos trabalhos ganhadores: os estudantes foram à frente para mostrar à plateia toda a qualidade e criatividade dos seus projetos. Em seguida, os alunos vencedores receberam medalhas e bicicletas, e os professores e coordenadores dos melhores trabalhos ganharam medalhas e um tablet cada.

 

O procurador e coordenador regional da Coordinfância (Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente), Paulo Crestana, ressaltou a importância de crianças e adolescentes assimilarem, através da arte, a mensagem do combate ao trabalho infantil. “A caminhada é mais importante que a chegada. O processo de aprendizagem é um dos fatores mais relevantes no projeto MPT na Escola. E ter uma premiação é importante para que, ano após ano, haja motivação para trabalhar o tema em sala de aula”, ressaltou.

Em sua fala, a procuradora-chefe do MPT Campinas, Maria Stela Guimarães De Martin, parabenizou a todos os participantes do projeto. “Quero cumprimentar todos os que participaram do projeto, em especial os premiados. O MPT na Escola é um projeto importante, na medida em que ele ajuda a eliminar os mitos que existem em torno do trabalho infantil”, disse.

O procurador e membro da Comissão Julgadora da etapa regional do prêmio, Marco Aurélio Estraiotto Alves, elogiou os trabalhos e agradeceu o apoio dos educadores ao projeto nos municípios. “É uma satisfação ver trabalhos de qualidade, que demonstram o grande engajamento dos alunos dentro e fora da sala de aula. Os trabalhos são surpreendentes”, concluiu.

A procuradora Marcela Dória, que já coordenou o projeto MPT na Escola na 15ª Região, participou da cerimônia e premiou estudantes, professores e coordenadores.

 

 

Sobre o MPT na Escola -O MPT na Escola é um projeto criado pela Coordifância para incentivar o entendimento de pais e alunos da rede pública de ensino acerca da proibição do trabalho de crianças e adolescentes, e torná-los replicadores da causa. Para isso, o envolvimento da escola, por meio de sua diretoria e de seu corpo docente, mostra-se essencial na transmissão da mensagem, sempre apoiados por treinamentos e material didático desenvolvidos especialmente para este fim, fornecidos pelo MPT.

Nas escolas, os educadores apresentam o conceito de trabalho infantil, as formas de proibição e as normas protetivas da criança e do adolescente. Os alunos também aprendem que é proibido o trabalho antes dos 16 anos fora do sistema de aprendizagem, o trabalho noturno, insalubre, perigoso e aqueles contidos no decreto federal nº 6.481/08, que lista as piores formas de trabalho infantil. O conhecimento adquirido é transmitido pelas crianças e adolescentes por meio de trabalhos culturais. Os melhores são premiados em etapas regionais e nacionais. 

Trabalho infantil -A mais recente Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelou que 1,8 milhão de crianças e adolescentes com idade entre 5 e 17 anos trabalhavam no país em 2016, com carga horária média semanal de 25,3 horas. Deste total, a maioria se encontrava em situação ilegal.

O estudo também mostra que cerca de 30 mil crianças entre 5 e 9 anos de idade trabalhavam em 2016, ao passo que cerca de 160 mil crianças entre 10 e 13 anos se ocupavam em trabalho ilegal. Deste contingente, apenas 26% receberam algum tipo de remuneração, sendo que o rendimento mensal médio foi de R$ 141 para os meninos e R$ 112 para as meninas.

A pesquisa mostrou, ainda, que 47,6% das crianças de 5 a 13 anos que trabalhavam em 2016 estavam ocupadas em atividade agrícola; 24,7% em segmentos como construção, indústria, transportes e serviços; 21,4% no comércio e 6,3% em serviços domésticos.

Os vencedores do Prêmio MPT na Escola 2018, etapa regional, por categoria, são:

4º e 5º anos

Conto – Yasmin Camille Aranha (Leme).

Curta-Metragem - Caroline Ribeiro Maldonado, Maria Eduarda da Silva Santos, Marlon Augusto Mateus Saturnino, Talita Rosa de Lima e Yasmin Ximeni Santos (Limeira).

Desenho - Luiz Diogo Evangelista Pires dos Santos (Atibaia).

Esquete Teatral - Luiz Felipe Alves Saleme, Kemilly Eloá de M. Batista, Maria Rita Ferreira, Sabrina Alice de Oliveira Santiago, Yasmin Luara Ranzoni, Givanaldo da Silva Cordeiro, Abner Kauã Nunes de Oliveira e Jorge Luís Afonso das Dores (Pirassununga).

Música - Filipe Bonani de Moraes, Emanuele Monsão Nogueira, Isabella Faria de Souza, Maria Vitória do Santos Fernandes e Vitória Silva Machado (Atibaia).

Poesia – Ana Lívia de Castro Ferreira Coelho (Aparecida).

6º e 7º anos

Conto – João Carlos Silva de Araújo (Itatiba).

Curta-Metragem - Adriane Cristina Almeida, Joana Araújo, Juliana Gressoni Lacerda, Maria Júlia Pereira e Milena Silva Souza (Jaguariúna).

Desenho - Pâmela Juliano (Jaguariúna).

Esquete Teatral - Ana Caroline Ronchi Campos, Ana Gabriela Silva Taborda dos Santos, Bruna Giovana Ruiz, Camily Vitória Silva Fante, Isabella Goes Marques, Júlia de Araújo Faria, Júlia Vitória Lima Oliveira, Pâmela Assis Ferreira, Paulo Henrike Dhuno Galoro e Pedro Henrique Gonçalves Falcirolli (Jaguariúna).

Música - Flaviane Gabriele N. Carneiro, Hotávio Oliveira Lima, Karine da Silva Santos, Letícia Pereira Eller da Silva e Thalita Pereira Sales (Santa Gertrudes).

Poesia – Bianca Marchesin Schiner (Charqueada).

Os vencedores do Prêmio MPT na Escola 2018, etapa nacional, por categoria, são:

4º e 5º anos

Conto – Yasmin Camille Aranha (Leme) – 2º lugar.

Música - Filipe Bonani de Moraes, Emanuele Monsão Nogueira, Isabella Faria de Souza, Maria Vitória do Santos Fernandes e Vitória Silva Machado (Atibaia) – 2º lugar.

Poesia – Ana Lívia de Castro Ferreira Coelho (Aparecida) – 3º lugar.

6º e 7º anos

Desenho - Pâmela Juliano (Jaguariúna) - 2º lugar.

Esquete Teatral - Ana Caroline Ronchi Campos, Ana Gabriela Silva Taborda dos Santos, Bruna Giovana Ruiz, Camily Vitória Silva Fante, Isabella Goes Marques, Júlia de Araújo Faria, Júlia Vitória Lima Oliveira, Pâmela Assis Ferreira, Paulo Henrike Dhuno Galoro e Pedro Henrique Gonçalves Falcirolli (Jaguariúna) - 1º lugar.

Poesia – Bianca Marchesin Schiner (Charqueada) - 3º lugar.

 

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • Portal de Direitos Coletivos