• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • Não categorizado
  • MPT e Judiciário de MG fazem visita a Campinas para conhecer experiência do caso Shell-Basf

  • Auditoria
  • Liberdade Sindical
  • BRASILIT BANNER
  • Aviso desfazimento 02 2019
  • Banner eliminacao
  • banner protocolo
  • Banner audin
  • abaixo assinado trabalho escravo

MPT e Judiciário de MG fazem visita a Campinas para conhecer experiência do caso Shell-Basf

Procuradores e juíza que conduzem o caso de Brumadinho viram de perto os projetos de saúde e pesquisa construídos a partir da reversão de indenizações coletivas

Campinas - Uma comitiva formada pela juíza Renata Lopes Vale, titular da 5ª Vara do Trabalho de Betim (MG), responsável pela homologação do acordo entre Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Vale S.A no caso Brumadinho (MG), e pelos procuradores Geraldo Emediato de Souza (coordenador do Grupo Especial de Atuação Finalística/ GEAF do caso Brumadinho) e Carlos Eduardo Almeida Martins Andrade, estiveram na região para conhecer a experiência do MPT Campinas e do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região na condução da ação civil pública (ACP-222), conhecida como processo Shell/ Basf, em que as duas empresas, após condenação, fizeram acordo para pagamento do dano moral coletivo em R$ 200 milhões, e o valor destinado a oito entidades de pesquisa e medicina, incluindo a construção do Barco Hospital Papa Francisco para atuação na Amazônia.

A visita teve início no edifício-sede do Tribunal, na quarta-feira (2), quando a comitiva foi recepcionada pela diretora da Escola Judicial, desembargadora Maria Inês Corrêa de Cerqueira César Targa, prolatora da sentença da ACP-222 na época em que era juíza titular da 2ª Vara do Trabalho de Paulínia. Acompanhados pelo procurador Ronaldo Lira, do MPT Campinas, os visitantes se reuniram posteriormente com a presidente do TRT-15, desembargadora Gisela Rodrigues Magalhães de Araujo e Moraes. Ainda na sede da Corte, conheceram as instalações da Escola Judicial, onde assistiram a uma produção audiovisual que detalha a destinação de valores do caso Shell-Basf. "O objetivo principal da visita foi o de conhecer a experiência na escolha de entidades e, também, na utilização dos recursos provenientes de indenizações por danos morais coletivos", ressaltou a desembargadora Maria Inês.

O acordo firmado entre o MPT de Minas Gerais e a Vale S. A. na ACP sobre o rompimento da barragem 1 da Mina de Córrego do Feijão em Brumadinho, ocorrido em 25 de janeiro desse ano, envolveu reparação por dano moral coletivo em R$ 400 milhões, que serão destinados a projetos em benefício da sociedade. Foram asseguradas também reparações morais e materiais para grupos familiares dos 270 trabalhadores mortos e desaparecidos no acidente.

Ainda na quarta-feira, o grupo seguiu para uma visita ao Centro Infantil Boldrini, instituição beneficiada pelo processo Shell/ Basf em R$ 48,3 milhões, utilizados na construção e aquisição de equipamentos do Instituto de Engenharia Molecular e Celular, primeiro centro de pesquisas sobre câncer pediátrico do país. A comitiva foi recebida pela presidente do Boldrini, a médica Sílvia Brandalise, e pela superintendente da instituição, Luciana Maldonado.

Na manhã de quinta-feira, a visita foi na sede do MPT Campinas, com a participação do assessor Wagner Konrad Amstalden, e à tarde, o grupo seguiu para Piracicaba, onde conheceu o Hospital Ilumina e conversou com a presidente do Conselho Administrativo da Fundação Ilumina, Adriana Brasil e equipe. Inaugurado em 23 de maio desse ano, o hospital também foi construído com verba do processo Shell/ Basf. O montante de R$ 27,8 milhões possibilitou ainda a aquisição de uma unidade móvel de atendimento. Posteriormente, os visitantes se encontraram com o médico Agricio Crespo e sua equipe do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) na Ejud. A Fundação Área de Saúde de Campinas (Fascamp) recebeu R$ 40,4 milhões do caso Shell/Basf que está sendo utilizado na construção do Instituto de Otorrinolaringologia de Cabeça e Pescoço na Unicamp.

Na sexta-feira, último dia do programa de visitas, o grupo assistiu, na Escola Judicial do TRT-15, a uma palestra sobre prevenção ao câncer, ministrada pelo neurologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Cícero Galli Coimbra. O evento contou com a presença da médica Adriana Brasil, do Hospital Ilumina de Piracicaba.

Com informações do TRT-15

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • Portal de Direitos Coletivos